Sind-UEA marca presença no 12° Congresso do Sinteam, em Manaus

Sind-UEA marca presença no 12° Congresso do Sinteam, em Manaus

Em um movimento cada vez mais unificado pela luta das trabalhadoras e trabalhadores em educação, o Sind-UEA participou do 12° Congresso do Sinteam, em Manaus, neste sábado (28). O evento ocorreu pela manhã na sede do Sindicato dos Petroleiros do Amazonas e contou com a presença de outras entidades sindicais, como Sintafisco (Sindicato dos Técnicos do Fisco do Amazonas), Sindevam (Sindicato dos Vigilantes do Amazonas), e CTB (Central das Trabalhadoras e Trabalhadores do Brasil).A edição deste ano do Congresso do Sinteam tem como tema “Trabalho, Direitos, Democtacia e Vida: A unidade da classe trabalhadora” e expressa a atuação cada vez mais unificada das entidades de trabalhadores em educação.
“Estamos numa conjuntura muito regressiva de direitos. Trabalhadoras e trabalhadores de todos os setores estão sofrendo perdas salariais profundas. Para além dessa questão, a intensificação dos problemas sociais, do desemprego, da precarização do trabalho, da carestia produzida por um governo antipovo estão na ordem do dia. Por isso, não há outra alternativa a não ser a construção da unidade de classe, para fazer frente ao desmonte das políticas políticas públicas”, ressalta a secretaria de Comunicação do Sind-UEA, Ceane Simões.
Ela esteve presente na mesa de abertura do Congresso em representação ao Sindicato dos Docentes da UEA. Durante a sua fala, destacou a importância da solidariedade de classe e lembrou os desafios vividos pelo Sind-UEA para a construção da unidade, além da estratégia que o sindicato vem construindo para visitar as unidades da UEA no interior do Amazonas.
A previsão é que as caravanas tenham início em julho e sejam o principal meio de socialização das pautas conjuntas da categoria, como a valorização profissional, o pagamento dos salários e promoções e a defesa da Zona Franca de Manaus, responsável por meio milhão de empregos e por financiar integralmente a própria UEA.
No Congresso, a análise de conjuntura foi feita pelo presidente da CTB, Adilson Araújo. Na sua fala, ele trouxe todos os ataques do governo federal às áreas essenciais para uma boa qualidade de vida da população, como saúde, educação e economia.
“Temos mais de 667 mil mortes na pandemia, e para além disso, mais de 116 milhões de brasileiros em insegurança alimentar. Do ponto de vista da economia, mas não podemos esperar muita coisa, porque Paulo Guedes é um agente do mercado”, comentou ele.

admin_sindueax

Os comentários estão fechados.